"Учебно-методический центр по гражданской
обороне, чрезвычайным ситуациям и пожарной
безопасности Приморского края"


Логин:
Ваш email:
Ваше имя:
Ваша фамилия:

previsao Tempo, https://Sanctuaires.org/fr/index.php?title=Gest%C3%A3o_Do_Tempo_E_Produtividade:_6_T%C3%A1ticas_Infal%C3%ADveis.

Se, por um lado, o acontecimento é singularmente o que é – esta superfície plana -, por outro, o acontecimento inclui, também, no movimento de reverberação da singularidade, uma abertura à diferença. O fazer de uma diferença é sempre, também, o fazer de um tempo. ” (WHITEHEAD, 1978WHITEHEAD, Alfred North. O que dizer da afirmação de Whitehead de que “uma mão extra de vermelho não constitui uma mera adição; altera a composição inteira” (WHITEHEAD, 1978WHITEHEAD, Alfred North. Persistir no intervalo tanto-quanto é sentir o dobrar-se do tempo no acontecimento. O que é singularmente potencializado pelo inframince é um acontecimento-tempo, tempo sentido em sua qualidade diferenciante, tempo menos medido que dobrado. O que pensar, então, do fato que “a ocasião não tolera qualquer adição? “. Significa sentir tanto a absoluta assinatura-do-tempo – o pragmatismo do que acontece, aqui. A força potencialmente singularizante do inframince advém de sua capacidade de ser tanto-quanto.

Para a assimilação de dados é importante ressaltar que, com os dados em um estado mais cru, ou seja, menos processados, se produzem os melhores resultados, pois os diferentes estágios de processamento envolvem aproximações e, consequentemente, a inclusão de incertezas nos valores obtidos (Aparicio; Deblonde, 2008APARICIO, J.M.; DEBLONDE, G. Impact of the assimilation of CHAMP refractivity profiles on environment Canada global forecasts. Com o lançamento da missão de prova de conceito GPS/MET (acrônimo do inglês Global Position System/Meteorology) em 1995 (Kursinski et al., 1997KURSINSKI, E.R.; HAJJ, G.; SCHOFIELD, J.T.; LINFIELD, R.P.; HARDY, K.R. Observing earth’s atmosphere with radio occultation measurements using the Global Positioning System. A mesma constituiu a base para a criação de um sistema de análise de dados automatizada e a fabricação de uma nova geração de receptores para a RO mais sofisticados (Yunck et al., 2000YUNCK, T.P.; LIU, C.-H.; WARE, R. A history of GPS sounding. Monthly Weather Review, v. 136, p. 257-275, 2008.). No CPTEC/INPE, atualmente são assimilados somente os perfis de refratividade em função da altura geométrica.

Como a própria produção acadêmica sobre a autoconstrução no Brasil urbano demonstrou nos anos de 1960 e 1970, a moradia oferece um rico ponto de partida para análises das mais diversas facetas da vida social. A transformação produz uma temporalidade particular – uma que abre a promessa de um futuro melhor – em parte devido à própria experiência de acúmulo de capital na forma de uma casa que participa de um mercado imobiliário dinâmico e cuja tendência é a valorização, ainda que com os limites impostos pelas estruturas territoriais do tráfico. Mas, paradoxalmente, pelo fato de o tráfico trazer a favela para o centro do debate político no Rio de Janeiro contemporâneo também vem trazendo mais investimentos e programas de urbanização. Essas estruturas, por sua vez, não podem ser reduzidas à mera obediência de leis não escritas, mas amplamente compartilhadas; elas são incorporadas à vida dos moradores, na forma de rotinas que visam a diminuir os riscos cotidianos e produzem uma sensação de alerta constante. A presença – e a co-existência – com o tráfico também reforça estereótipos que associam os moradores a traficantes e bandidos, tornando a vida cotidiana difícil dentro e fora da favela. De fato, a própria centralidade da casa própria em sociedades capitalistas permite uma teorização da casa ou da moradia, bem como sua produção e experiência vivida como um processo, como um fato social total. Além disso, a mera presença do tráfico torna os moradores vulneráveis à violência e ao desrespeito típico da polícia dentro da favela. Assim, minha análise etnográfica da consolidação de favelas mostra que a metamorfose de um barraco de estuque em uma casa de alvenaria ao longo dos anos – quiçá décadas – não apenas transforma a forma e a qualidade da moradia.

H. G. Wells também estendeu sua ficção científica ao tempo em específico, incluso o espaço quadridimensional (espaço-tempo) e as viagens no tempo, sendo certamente estes assuntos em moda àquela época – visto que H. G. Wells e Einstein são contemporâneos. ↑ Para determinar-se o tempo próprio – o tempo que ordena as percepções dos fenômenos pelo observador na origem – em princípio um relógio bastaria; contudo, para se estabelecer o sistema de referências espaço-temporal desse observador, mediante a qual determinam-se os valores do tempo coordenado dos fenômenos – que ordena-os mediante real ordem de ocorrência no espaço-tempo e não de percepção – supõem-se existir em princípio incontáveis relógios adequadamente sincronizados e posicionados ao longo da malha espacial do observador. Por “eventos” subentende-se na definição pois, ou os fenômenos em si ou então as percepções destes. ↑ A edição de outubro de 2002 da revista Scientific America Brasil é dedicada em grande parte ao assunto “Tempo”. Em física clássica as noções de tempo coordenado e tempo próprio reduzem-se em uma única, é nesse escopo, um relógio bastaria.